Skip to content

Balcao de Anúncios Posts

Digesan Bula – Para que serve, Efeitos Colaterais e Preços

Digesan é um remédio à base de bromoprida, indicado para aliviar a dor de estômago, tratar náuseas e ânsias de vômito, bem como problemas de infecção estomacal. A medicação age regularizando os movimentos esofágicos, tendo efeito entre 30 minutos após a administração.

O remédio pode ser aplicado por injeção intramuscular, intravenosa ou via oral, mas antes de tomar, confira, aqui, as informações da bula oficial a respeito:

Para que serve o Digesan

Digesan é indicado para tratar:

  • Refluxo gastroesofágico;
  • Azia;
  • Distúrbios de movimentação do estômago e/ou intestino;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Infecções estomacais.

Como tomar

Abaixo, seguem as instruções da bula oficial, divulgada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sobre como tomar a solução em cada caso:

Em adultos, recomenda-se 10 ml a cada 12 horas ou de oito em oito horas. Caso a recomendação médica seja diferente da informada na bula, siga as orientações do profissional.

A dose pediátrica é de 0,5 ml a 1 mg/1 ml por cada quilo de peso corporal. Deve-se administrar três vezes ao dia, somente por via oral.

Os comprimidos de 10mg devem ser utilizados por adultos, de 12 em 12 horas ou 8 em 8 horas, dependendo da gravidade da condição do paciente.

Recomenda-se não administrar a versão em comprimido para crianças. No entanto, caso não haja alternativa via oral líquido (em gotas), pode-se usar 0,5 ml a 1 ml por quilo corporal, até três vezes ao dia.

Bebes que regurgitam, que estão com problemas para engolir o leite materno ou que sofrem de refluxo ou vômitos frequentes podem ser tratados com bromoprida, sendo o digesan uma das opções medicamentosas.

A posologia recomendada é de 0,5 ml para cada kg de peso da criança. No entanto, não se deve dar o remédio para bebês menores de um ano de idade, pois não se sabe ao certo se os riscos compensam os benefícios.

Se os sintomas não desaparecerem, procure, com urgência, um serviço de pronto atendimento e averigue com um médico pediatra as causas dos sintomas.

A solução injetável vem em forma de ampolas. Para adultos, deve-se injetar uma a duas ampolas de 10 a 20 mg de bromoprida por via intravenosa. Crianças devem receber doses de 0,5 a 1 mg por quilo de peso, também por via intravenosa ou intramuscular. Recomenda-se ter o auxílio de um farmacêutico na hora da aplicação.

Efeitos colaterais

É normal que após a administração de bromoprida crianças fiquem mais sonolentas e reclamem de tontura ou dores de cabeça. Nestes casos, o repouso é recomendado. Também são efeitos colaterais do Digesan:

  • Náuseas;
  • Insônia;
  • Cansaço;
  • Inquietação;
  • Diminuição da força;
  • Aumento das mamas em homens;
  • Erupções cutâneas;
  • Urticária;
  • Distúrbios intestinais;
  • Produção de leite excessiva em mulheres em fase de aleitamento.

Em idosos que fazem uso recorrente da medicação, é possível desenvolver movimentos anormais ou perturbação muscular.

Princípio ativo

A composição de 2 ml de Digesan consiste em 10 mg de bromoprida. Entre seus excipientes, encontram-se ácido clorídrico, cloreto de sódio e água.

Preço

Digesan pode ser encontrado na maior parte das redes farmacêuticas tradicionais. O preço varia conforme a sua versão, sendo que o nome comercial diz respeito à fabricação pelo laboratório Sanofi. Abaixo, segue os preços médios:

  • Digesan solução oral em gotas de frasco com 120ml R$ 30,00 a R$ 40,00;
  • Digesan infantil 20ml R$ 30,00 a R$ 40,00;
  • Digesan comprimido em caixa com 20 cápsulas R$ 30,00 a R$ 37,00;
  • Digesan injetável 5 mg R$ 40,00 a R$ 45,00.

A fórmula pode ser comprada na versão genérica, com quase a mesma proporção de eficácia. Já falamos, aqui, sobre bromoprida.

Contraindicações Quando não usar

Não devem utilizar Digesan pessoas que se enquadrem em uma ou mais condições abaixo:

  • Crianças menores de um ano;
  • Mulheres em fase de aleitamento;
  • Grávidas;
  • Pacientes com glaucoma;
  • Diabéticos;
  • Pessoas que possuem doença de Parkinson;
  • Pessoas que têm insuficiência renal;
  • Hipertensos.

Quem faz uso de antipsicóticos também não deve utilizar bromoprida sem antes consultar a opinião de um médico. Idosos podem utilizar a medicação, mas é válido que consultem um médico antes, para ter a certeza de que o remédio trará mais benefícios do que malefícios.

Comments closed